Google+ Badge

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

CÓLEUS

Cóleus (Solenostemon scutellarioides) é uma espécie de planta perene e ornamental da família das lamiáceas, originária do Sudeste Asiático, conhecida também como cóleo e coração-magoado. As plantas de cóleus foram descobertas primeiramente sendo cultivadas na colônia holandesa de Java por Karl Ludwig Blume. Atualmente, existem 150 diferentes variedades da planta disponíveis. Ela é considerada uma planta anual e parte da família da hortelã. Elas poderão ser difíceis de cuidar e deverão ter o ambiente ideal para florescerem corretamente.

É uma planta muito fácil de se propagar por meio de estacas, podendo atingir em torno de 40 a 90 cm de altura. Ela gosta de sombra parcial, mas pode obter um pouco de luz solar direta, pois é intolerante ao frio.
O cóleus é uma planta herbácea semi-arbustiva, de caule lenhoso na base, formato quadrangular na parte apical, muito apreciada pelo colorido de suas folhas. Originou-se da hibridização entre espécies do gênero Solenostemon, como S. laciniatus e S. bicolor e atualmente conta com numerosas cultivares. Suas folhas são grandes, macias e podem apresentar diversas cores e combinações entre amarelo, vermelho, rosa, roxo, verde e marrom. É interessante observar que as cores das folhas podem formar degrades ou contrastar bruscamente. As flores azuladas surgem em inflorescências do tipo espiga, acima da folhagem, em qualquer época do ano e têm importância ornamental secundária.
As cores vivas desta vistosa folhagem podem ser aproveitadas em diversos ambientes. No jardim, ela poderá formar maciços ou conjuntos, além de bordaduras junto a muros. Em pátios e varandas, ou em uma janela bem iluminada, o cóleus será uma espécie muito decorativa, podendo ser plantado em vasos ou jardineiras. Em climas quentes, é possível desfrutar de sua beleza colorida o ano todo. É uma planta de baixa manutenção, não exigindo podas e tolerando um pouco a estiagem. Atinge cerca de 40 a 90 cm de altura, de acordo com a variedade.
Deve ser cultivada em substrato bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Adubações a cada 15 dias são suficientes para que a planta cresça bonita. Apesar de perene, o cóleus deve ser replantado bienalmente, pois perde a beleza com a idade.
Periodicamente é necessário realizar uma poda para a retirada de inflorescências ou de ramos que sairam muito da forma arredondada. O cóleus tem grande número de sementes que podem ser usadas para fazer a multiplicação de mudas. As plantas oriundas de sementes na maioria das vezes é uma combinação de cores e desenhos nas folhas, devido ao casamento das flores.
Para você obter uma réplica da planta gerada pela combinação de cores, será necessário retirar estacas de ponteiro do ramo, tirando parcialmente as folhas para evitar a perda de umidade, colocar em areia úmida e cultivo protegido do sol e cobrindo com saco plástico para evitar a perda de umidade. Quando você notar que começam a se desenvolver as novas folhas, é sinal que a estaca está com raízes.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

SÂNDALO




 Sândalo é uma madeira aromática de espécies da família Santalaceae, oriundas do Sudeste AsiáticoA árvore do sândalo (Santalum album) é originário da Índia e outras partes da Ásia e, atualmente, é plantada em outros lugares do mundo, em especial na América A sua madeira é conhecida por seu entalhe para esculturas e porque dela se obtém óleos voláteis que são usados em perfumaria. O sândalo originário da Índia é a que produz a melhor madeira e os melhores óleos aromatizantes. É uma árvore de folha perene e que pode crescer até aos 20 metros. Tem casca castanha escura, por vezes quase negra. As árvores novas apresentam a casca lisa mas nas árvores mais velhas, surgem rasgos mais ou menos profundos.  As folhas são ovais ou ovais-elípticas, verde brilhante e sem pêlos. As flores são pequenas e vermelhas ou violetas e sem aroma. O fruto é uma pequena drupa com cerca de 1 cm de diâmetro, vermelha, quase negra quando completamente madura. No centro encontra-se um caroço ou semente. 

Para semear usa-se uma caixa com uma mistura de areia e matéria orgânica bem decomposta, como por exemplo, o húmus que encontramos sob as folhas de baixo das árvores. Antes de enterrar a semente deve-se esfregá-la um pouco contra uma lixa fina, de modo a facilitar a entrada de água e acelerar a germinação. Esta operação não pode atingir o interior da semente e o embrião. Coloca-se depois a semente no solo de modo que um terço fique de fora. A germinação pode levar 10 dias ou mais. Mantenha-se o solo úmido mas não encharcado, e em um local fresco. As espécies que são cultivadas no resto do mundo não são tão próximas a espécie hindu, porém também recebem o nome de sândalos e sua madeira é também aromática. Na Índia, o sândalo é uma árvore sagrada, e o governo a tem declarado como propriedade nacional para preservá-la da depredação ao qual tem sido exposta. Só é permitido o seu corte quando o exemplar possuir mais de trinta anos, momento em que naturalmente começa a morrer. Um tronco do sândalo demora 25 anos para adquirir uma espessura de 6 cm. A madeira do sândalo, quando recém cortada, apresenta coloração amarela, porém com o tempo adquire uma coloração marrom mais escura. Quando seca, não se racha e é de fácil tratamento em carpintaria pois fumega com facilidade. É uma madeira dura, de densidade aproximada de 950 kg/m³ , que seca lentamente, e é resistente a fungos e insetos. 
Na China, Índia e Birmânia existem muitos templos construídos com a madeira do sândalo e na Índia ela é utilizada ainda em cremações e como proteção ao mal. O Sândalo também é conhecido como uma planta medicinal, (Sândalo-branco ou Sândalo-indígena), muito utilizada para ajudar no tratamento de doenças do sistema urinário, problemas de pele ressecada, acne e bronquite. Serve para ajudar no tratamento de infecções urinárias, garganta inflamada,  cistite crônica, depressão, fadiga, inflamação dos rins, infertilidade, tuberculose e tosse. As propriedades do Sândalo incluem sua ação calmante, aromática, fixadora, desinfetante, antimicrobiana, adstringente, antisépticadiurética, expectorante, sedativa, refrigerante e tônica.