Google+ Badge

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

DÁLIAS

A dália é uma espécie de flor que pertence à família Asteraceae. Trata-se de uma herbácea de porte médio, perene, que ao chegar à idade adulta pode atingir 1,50 metros. Atualmente, existem vários tipos de dálias com diversas formas e cores e estas são uma excelente alternativa na decoração de um jardim.
Seu nome científico é Dahlia pinnata, popularmente conhecida como Dália, Dália-de-jardim. Categoria: BulbosasFlores Perenes. Clima: equatorialmediterrâneosubtropical, temperadotropical. Altura: 0,4 a 0,6 metros0,6 a 0,9 metros0,9 a 1,2 metros1,2 a 1,8 metros. Luminosidade: Sol Pleno.
A dália, é um gênero botânico pertencente à família Asteraceae. É uma herbácea de porte médio, perene. É originária do México, onde é muito popular. Os índios daquela região foram os primeiros a cultivar dálias, ainda no período do império Asteca. Por volta do final do século XVIII, o diretor do Jardim Botânico de Madri encantou-se com a flor, durante uma visita ao México. Foi o suficiente para que a dália atravessasse o oceano e chegasse à Europa, onde se adaptou ao clima temperado.
Os holandeses e os franceses foram os maiores incentivadores do cultivo e da produção de inúmeras espécies híbridas de dálias. Os imigrantes holandeses contribuíram para a propagação desta flor no Brasil. Hoje, entre naturais e híbridas, existem mais de 3.000 variedades, com uma diversificação de formas, cores tamanhos e adaptações a diferentes condições.
Plantadas a pleno sol, as dálias não dão nenhum trabalho e vão bem em todo tipo de solo ou vaso. Mas preferem os fofinhos e ricos em matéria orgânica. Recomenda-se adubar o solo antes do plantio com fertilizantes ricos em potássio.
As dálias são bulbos, portanto, o que se costuma plantar é simplesmente um tubérculo, ou um pedaço de tubérculo, embora o plantio possa ser feito, também, por mudas ou sementes. O tubérculo deve ser enterrado numa pequena cova de aproximadamente 12 centímetros, cubra com terra e regue um pouco. Em 15 dias acontecerá a brotação. As dálias com hastes altas, devem ser plantadas com distância de 1 metro uma das outras, as de menores hastes, de 35 a 50 centímetros. 
A dália passou por grande melhoramento e muitos cruzamentos, possibilitando a disponibilização de um expressivo número de variedades, com portes diferentes, e principalmente com capítulos florais de cores e formas muito variadas, simples ou dobrados. Suas folhas são compostas e podem se verdes ou arroxeadas.
Produz raízes tuberosas com grandes reservas, que podem ser guardadas no inverno para replantio na primavera. Podem compor belos maciços e bordaduras no jardim, conferindo-lhes certa sofisticação. A floração ocorre no verão.





Encontre esta e muitas outras plantas além de insumos e ferramentas na FLORA MORUMBY!
Acesse nosso site e saiba mais: www.floramorumby.com.br 

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

AÇAFRÃO


O Açafrão, também conhecido como ouro vermelho, nos faz pensar em cores fortes, perfumes e em uma linda flor (crocus sativus). Sua magia singular, sensual e vibrante, transfere aos alimentos um aroma único, um sabor especial, sendo uma delicada especiaria que além da beleza e luxo apresenta propriedades medicinais.
O açafrão é extraído de flores de crocus sativus, uma planta da família das Iridáceas. É utilizado desde a antiguidade como especiaria, principalmente na culinária Mediterrânea — região de onde é originária.
É conhecida como uma das mais caras ou a mais cara especiaria do mundo uma vez que, para se obter um quilo de açafrão seco, são processadas manualmente cerca de 150.000 flores. Quando seca, a flor desprende de seus órgãos um pigmento amarelo e um óleo volátil, tradicionalmente usado como corante de tecidos.
O açafrão também tem sido empregado para fins medicinais, há séculos. Historicamente foi utilizado no tratamento do cancro e tratamentos contra a depressão. As pesquisas atualmente comprovam que suas aplicações têm tido efeitos promissores contra o câncer, mas não ainda em testes clínicos.
Efeitos antidepressivos também foram encontrados in vivo e em estudos clínicos preliminares. Há portanto interessantes perspectivas de uso dos extratos de açafrão na fitoterapia racional.
São originária da Ásia central ou de Creta. A espécie crocus sativus são resultado de uma seleção de crocus cartwrightianus com um crocus de floração outonal. A crocus sativus prospera em climas semelhantes ao do mediterrâneo ou do chaparral norte-americano. Todavia, a planta pode tolerar invernos rigorosos, sobrevivendo a temperaturas de até -10°C e mesmo a curtos períodos sob neve. 
Cultivado no Irã, no Marrocos e na maioria dos países mediterrâneos — com destaque para a Grécia e a Itália — tradicionalmente o melhor açafrão é encontrado na Espanha. Respondendo, com seus 35 mil quilos anuais, por 70% da produção mundial, os espanhóis, justificadamente, são orgulhosos do seu maravilhoso e valorizado açafrão de Castela. 
O açafrão é uma planta da família das Iridaceae, também conhecido como açaflor, açafrão, açafreiro, açafroeiro. É uma planta pequena que no Brasil é cultivada principalmente nos jardins do Rio de Janeiro. Apresenta folhas estreitas e flores rosáceas ou avermelhadas. Atualmente, é a especiaria mais cara do mundo
O dicionário de botânica brasileira refere-se ao açafrão como um arbusto de quase um metro de altura, folhas roxeadas e compridas; a flor e seus tegumentos são amarelos, purpurinos e avermelhados.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

KADUPUL


Sendo mais de 250 mil espécies espalhas pelo mundo, as flores são verdadeiras maravilhas da natureza. Existem flores para encantar os mais variados gostos, de todos os tipos, tamanhos, cores e perfumes.
Algumas espécies são fáceis de serem cultivadas e reproduzirem, algumas outras são extremamente raras, razão pela qual tornam-se símbolos de requinte e luxo. Essas flores também podem impressionar pela raridade e pelo valor, determinado pela dificuldade de ser encontrada.
A Flor Kadupul (epiphyllum oxypetalum) figura como a flor mais cara do mundo o seu preço é simplesmente incalculável.
Oriunda do Sri Lanka, floresce por volta da meia-noite e morre durante a madrugada. Devido à sua raridade, fragilidade e extensão de vida incrivelmente curta, a flor Kadupul adquiriu um estatuto mítico e especial, sendo por isso uma das flores mais desejáveis e valiosas em todo o mundo.
É muito raro presenciar o desabrochar dessas flores noturnas. Elas começam a se abrir no fim da tarde, tendo seu ápice à meia-noite e começam a se fechar durante a madrugada. Ou seja, no ano inteiro, ela só existe por curtas horas. Ela nasce em uma espécie de cacto, e sua fragrância é calma, relaxante e extremamente agradável.
Como a grande maioria das flores noturnas, a Flor de Kadupul possui uma coloração pálida e é intensamente perfumada, elas refletem a luz da lua, atraindo polinizadores com seu reflexo e seu odor.

A Flor de Kadupul floresce apenas duas vezes ao ano, entre os meses de dezembro e março. Essa bela flor também é encontrada no Brasil, na Venezuela e em outras regiões tropicais da América do Sul. 

Conheça nossas lojas em Sorocaba
MATRIZ: Rua Cláudio Pedro André, 09 Jd. Morumby III  Sorocaba/SP
BOX MEU POMAR: CEAGESP SOROCABA - Rua Terêncio da Costa Dias, 300 Galpão MFS BOX 117

Não é de Sorocaba? Não se preocupe! Tem FLORA MORUMBY na WEB!
www.lojafloramorumby.com.br 







sexta-feira, 7 de novembro de 2014

CRISTA-DE-GALO

 A Crista-de-Galo é uma planta florífera, também conhecida como Celósia Cristata. Trata-se de uma herbácea nativa da região tropical da América que tem por principal característica apresentar flores volumosas e retorcidas de cores fortes, como o vermelho, roxo e amarelo.
Devido a aparência peculiar de suas flores, a crista de galo é bastante utilizada no paisagismo, dando uma aparência diferenciada nos jardins e jardineiras. É uma planta anual de verão, de inflorescência macia, dobrada e brilhante, com a textura de veludo. A folhagem é ereta, verde ou bronzeada, com folhas lanceoladas. Sua altura varia entre 30 e 40 centímetros40 a 60 centímetros e entre 60 a 90 centímetros.
Existem variedades anãs, que são muito adequadas para a composição de bordaduras e grandes maciços. Curiosidades: Cada planta é capaz de produzir milhares de sementes. É utilizada como verdura em vários países da Ásia, América do Sul e África.
A Crista-de-Galo exige solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, regas frequentes e sol pleno. Seu crescimento deve ser nos meses de verão para que floresça adequadamente. O frio durante os primeiros meses após o plantio pode provocar a floração prematura e diminui o desempenho da planta. Multiplica-se por sementes.
Nome Científico da Crista-de-Galo é Celosia cristata, outros nomes populares: Amaranto, Celósia, Suspiro. Pertence à família das Amaranthaceae, categoria flores anuais, folhas e flores. Sua origem é asiática.
Apresenta folhas alternas, simples e pouco pecioladas, de forma oval-lanceolada e apresentando nervuras bastante visíveis. Sua floração acontece no verão. O seu cultivo deve-se efetuar só quando as temperaturas noturnas estiverem acima dos 15º C.
No jardim esta planta deve ser colocada em posição soalheira, onde possa apanhar o máximo de horas de sol.  Pode ser cultivada em vaso como planta de interior, devendo ser colocada na janela onde haja mais sol. É uma planta que exige terrenos bem drenados.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Flor de Cera



AS FLORES MAIS EXTRAORDINÁRIAS DO MUNDO

O valor das flores mais extraordinárias do mundo é determinado pela sua raridade e dificuldade em ser encontrada e não pela sua beleza. Algumas dessas flores são muito raras e portanto tem seu valor muito alto. Nessa matéria vamos falar sobre as cinco flores que são consideradas as mais caras e raras do mundo.



 HOYA CARNOSA OU FLOR-DE-CERA

As flores do gênero Hoya parecem serem de mentira. São ao menos 200 espécies e combinações diferentes de cores, como as H. cinnamomifolia, que lhes renderam o apelido de flor-de-cera (ou de porcelana).
A flor-de-cera é uma trepadeira perene, originária da Ásia e da Austrália. De textura semi-herbácea e ramagem pouco ramificada. São de tal maneira perfeita, que parece ter sido construída artificialmente, a partir de um molde. Apresenta folhas opostas, coriáceas, carnosas e espessas, com pecíolo curto. Ocorrem ainda variedades de folhas retorcidas e de folhas variadas de branco ou amarelo.
As inflorescências são do tipo umbela, axilares, pendentes, como pequenos buquês carregados de flores cerosas, brancas a rosadas, em forma de estrela e delicadamente perfumadas. A floração ocorre na primavera.
Apesar do crescimento relativamente lento, esta trepadeira tem um florescimento compensador. Ela não exige muito cuidados, bastando que se escolha um local úmido e com luz direta pela manhã ou à tarde, longe de correntes de ar.
As adubações mensais ricas em potássio e fósforo restringem-se à época de floração. Pode ser plantada em canteiros bem preparados e até mesmo em vasos e jardineiras, tomando-se o cuidado de oferecer-lhe suporte, como treliças ou grades. Os ramos sem flores não devem ser podados pois florescerão no próximo ano.
Deve ser cultivada sob meia sombra ou intensa iluminação difusa, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Não tolera o sol direto nas horas mais quentes do dia, pois pode provocar queimaduras nas folhas e quedas dos botões. Moderadamente tolerante às baixas temperaturas, prefere uma faixa entre 15 a 25ºC. Em regiões de clima frio, pode ser cultivada em estufas ou no interior das residências em locais bem iluminados. Multiplica-se por estaquia.
Além da sua imensa beleza, as flores das Hoya carnosa têm igualmente um agradável aroma, principalmente à noite. Elas também segregam um néctar viscoso, que forma constantemente pequenas gotas na sua superfície.


 Veja mais fotos:




quinta-feira, 2 de outubro de 2014

BEGÔNIAS


As begônias são plantas do gênero Begônia, da família Begoniaceae, existindo apenas uma outra espécie de origem havaiana, única representante do gênero Hillebrandia, que não pertence a este gênero. São, de maneira geral, plantas ornamentais de folhagem característica e flores atraentes. Estimativas indicam cerca de 1000 espécies de begônias, o que faz dela um dos 10 maiores do grupo das angiospermas. (Plantas dotadas de flores e frutos. A flor abriga os elementos relacionados com a reprodução sexuada e outras importantes estruturas).
Os métodos de cultivo variam de espécie para espécie. Uma identificação precisa, ajuda neste conhecimento, pois determina se a planta pertence a uma espécie terrestre, epífita ou rupícola. De maneira geral, são cultivadas em solos orgânicos, bem drenados, protegidas da luz solar direta e de correntes de ar, irrigadas com frequência.
A flor da begônia significa felicidade, delicadeza e cordialidade, é também indicada para namorados apaixonados, já que estão associadas à inocência e à lealdade do verdadeiro amor. Relativamente ao Feng Shui, a begônia é um símbolo de fertilidade.
As begônias provêm principalmente da América tropical, de florestas úmidas ou nichos de umidade das savanas, com muitas espécies epífitas ou rupícolas, embora a maioria seja terrestre. Algumas espécies apresentam tubérculos subterrâneos que as mantêm vivas por muitos anos, embora a parte aérea normalmente pereça no fim de cada ciclo anual. O clima brasileiro favorece o seu desenvolvimento e a begônia floresce com facilidade principalmente no sul, onde o clima é mais ameno.
A maioria das begónias são cultivadas como ervas. Porém, outras espécies, como a "begônia-asa-de-anjo" (Begonia coccinea) e "begônia-metálica" (Begonia aconitifolia), desenvolvem caules eretos e consistentes, alcançando até 1,5 metros de altura.
Caracteriza-se por florir abundantemente durante todo o ano, não atingir um porte muito grande e não ser de difícil cultivo, o que faz dela uma das plantas mais comercializadas do Brasil. Embora várias das espécies possam ser cultivadas também em jardins, isto não é muito comum, uma vez que o sol forte causa queimaduras a suas folhas e flores. É uma planta perene muito florífera nas cores brancas, vermelhas, amarelas, rosas e algumas variações destas misturas.
As flores das begónias são diminutas, ornamentadas por brácteas brancas ou coloridas, que se tornam seu principal atrativo. A maioria das espécies possuem brácteas pequenas, ou de colorido pálido que, em contraste com a folhagem, perdem seu valor. Entretanto, certas espécies, como Begonia elatiorBegonia cucullata e Begonia tuberosa são avidamente procuradas por suas flores coloridas, que variam do branco ao vermelho. Nas B. elatior e B. tuberosa, as flores são especialmente grandes, e apresentam-se como algo semelhante a rosas.
As folhas das begónias são o seu maior atrativo. De forma incomum e usualmente coloridas, são muito visadas para canteiros sombreados. De todas as espécies, a que mais se destaca neste aspecto é a Begonia rex, com folhas enormes, com cores que variam do bronze ao rosado, ou vermelho, algumas prateadas ou brancas, com pintas e manchas de cores alternadas. Outras espécies, como a "begônia-cruz-de-ferro" (Begonia massoniana) e a "begônia-preta" (Begonia boverii) também se destacam por sua folhagem ornamental.
As Begônias Ilumination podem, além de compor canteiros em jardim, serem plantadas em grandes cestos, pois seus galhos ficaram pendentes, com um efeito maravilhoso. As melhores espécies para o cultivo em vasos são: Begônia sarmentosa (Begonia sarmentacea), Begônia de folha (Begonia x sementacea) e Begônia olmo (Begonia ulmifolia) ou prateada (Begonia venosa). Para canteiros, recomenda-se a Begônia cerosa (Begonia semperflorens), com época ideal para plantio no mês de abril.
As begônias para vasos são plantas tropicais muito delicadas. Preferem clima entre 20°C e 28°C e não gostam de ventos. Já as Begônias-cerosas de canteiros preferem um clima mais ameno e não toleram bem as chuvas de verão. Para o plantio de mudas da Begônia, prepare uma mistura rica em matéria orgânica, posicione a semente acima do solo já úmido, sem enterrar. Mantenha o solo úmido durante todo o período de germinação.
Você encontra variadas espécies de Begônias na FLORA MORUMBY, à Rua Cláudio Pedro André, 09 Jd. Morumby III, Sorocaba, SP.